quarta-feira, 21 de abril de 2010

Coluna Viver do Diário de Pernambuco

 

Fãs à espera do Megadeth no Português

O grupo de amigos Leo Metal, Renato Azevedo e Diogo Ferraz chegaram cedo ao Clube Português para conferir o show da banda <em>Megadeth</em> Imagem: Leonardo Trevas/DP/D.A Press
Imagem: Leonardo Trevas/DP/D.A Press

Ansiedade. Esta é a palavra que resume o sentimento de toda a platéia que está no Clube Português à espera do primeiro show da banda Megadeth no Recife. A apresentação que estava prevista para começar às 22h, deve começar logo mais. Enquanto isso, a banda recifense Cruor fez o show de abertura instigando os mealheiros de plantão.
A Cruor iniciou o show pontualmente às 21h30. O vocalista Mildred Gadelha levantou os fãs, principalmente no momento em que a banda fez o cover do Sepultura com Escape to the void.
Estudantes de música, Nando Gomes, Marcelo Martins e Ozzy Mignoc consideram o show desta noite o melhor do trash metal que já teve no Recife. "É importante porque abre caminhos para outras bandas de grande porte tocarem aqui também", disse Ozzy.
O grupo de amigos Leo Metal, Renato Azevedo e Diogo Ferraz chegaram cedo ao Clube Português. "Vim para o show porque, desde 97, a Megadeth representa uma grande influência para a minha banda", revelou Leo, vocalista e guitarrista da Unscarred.

O Megadeth é atualmente composto pelo guitarrista, compositor e vocalista Dave Mustaine, o guitarrista David Ellefson o baixista Chris Broderick e o baterista Shawn Drover. Eles são responsáveis, junto a bandas como Metallica e Slayer, pela popularização do estilo conhecido como Thrash Metal, de arranjos rápidos de guitarra e vocais rasgados.

A turnê que passa pelo Brasil - Recife sendo a primeira parada - é em comemoração aos 20 anos do álbum Rust in Peace, um dos mais importante da carreira dos metalheads.

A expectativa é que eles toquem um setlist parecido com o executado na Cidade do México, no sábado passado (17/04), que terá o disco Rust in Peace na íntegra, além de sucessos muito esperados pelos fãs, como Symphony of Destruction e In My Darkest Hour.

Fica na expectativa se eles executarão a polêmica À Tout le Monde, cujo videoclipe foi banido nos anos 1990, por ter uma letra que supostamente fala de suicídio.

Da Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/Viver/nota.asp?materia=20100420223849&assunto=169&onde=Viver

Diário de  Pernambuco

Um comentário:

  1. Éh saiu no jornal sem matar ou tá morto hihihihih.Te amo

    ResponderExcluir